Posts Tagged ‘warren Ellis’

Além dos novos 52! Histórias que não podem se perder no flashpoint – Authority

maio 13, 2013

Olá pessoal! Mais uma coluna onde remexemos o passado da DC Comics atrás de quadrinhos que não podem ser esquecidos. Hoje vamos falar um pouco de Authority e de seu criador: Warren Ellis.

The Authority 003

Se você está acompanhando o universo DC Novos 52 já deve ter encontrado o grupo secreto de super seres chamado Storm Watch, se você é novo nesse universo provavelmente não reconhece de onde vem estes personagens ou o fato de eles virem de um lugar muito distinto –  o universo da Image comics. Esta relação entre a DC e a Image comics é bem marcante em sua cronologia atual, revivendo artistas, estilos e personagens que fizeram sucesso nos anos 90 como os WildCats, Spawn, Savage Dragon, etc. StormWatch vem dessa safra, mas o grupo de onde vem Apolo e Meia-Noite só foi vir ao mundo em 1999 e em outras condições.

Vamos voltar no tempo para 1992, em que quadrinhos como Homem-Aranha de Todd McFarlane e os X-men de Jim Lee vendiam tiragens de milhões (isso mesmo, milhões) levando os dois artistas mais um grupo de criadores, cientes que estas cifras eram resultado de seu suor laboral, a sair de suas empresas empregadoras e se juntar em uma nova e promissora editora: A Image Comics.

A editora começou com um Boom, com um elenco de criadores bombásticos e personagens coloridos, raivosos e mulheres de biquini prontos para aplicar a justiça com muita porrada, linhas de velocidade e capas holográficas… Teve início assim a era dos especuladores que compravam tiragens inteiras de uma edição para revender a preços exorbitantes quando a procura aumentasse. O resultado foi uma queda na pouca elaboração dos textos e um aumento nos enfeites de capa. As Comic Shops começavam a se multiplicar pelo mundo atrás do dinheiro fácil e revistas como a finada Wizard nasceram para  controlar o capital especulativo por meio de uma lista atualizada mês a mês com os títulos quentes do mercado.

wildcats1

Reagindo a críticas com relação a fraqueza do conteúdo, alguns estúdios ( a Image era formada pelo coletivos de estúdios de seus membros formadores: Wildstorm de Jim Lee, Top Cow de Mark Silvestre, Boom Studios de Rob Liefield, etc, cada uma com seu próprio leque de personagens) começaram a contratar nomes consagrados como Neil Gaiman, Alan Moore e Grant Morrison para escrever alguns títulos, ao mesmo tempo em que abriram espaço para novos escritores interessados em super-heróis. Um deles era o jovem Warren Ellis, contratado pela WildStorm para escrever seu supergrupo de agentes secretos StormWatch. A crise veio, o mercado especulativo se afogou em suas próprias artimanhas levando os estúdios a se dividirem em editoras independentes, menos a WildStorm que foi comprada pela DC Comics.

1997-1

A meta era tirar o pé da cova e a aposta era em bons argumentos. Os anos 90 estava acabando e um novo milênio acenava no horizonte. Warren Ellis já fazia sucesso graças a seu, cada dia mais sombrio, Stormwatch e títulos como Transmetropolitan cimentavam sua fama no extinto selo Helix da DC. Mas era hora de mudanças. Em StormWatch, Ellis criou o grupo de trabalhos secretos chamado StormWatch Black, e após um encontro desastroso com os alienígenas criados por Riddley Scott no especial Wildcats VS Aliens, o título é cancelado. O que se seguiu em 1999 revirou o universo dos quadrinhos de super-heróis utilizando conceitos extraídos de clássicos como Watchmen e Cavaleiro das Trevas, somados a paixão de Ellis por ficção científica Hard  e magia shamanica: Assim nasceu The Authority –  um grupo formados pelos membros da extinta StormWatch Black: O espírito do Séc. XX, Jenny Sparks; o homem das cidades; Black Hawsmoore; o junkie e último de uma longa linhagem de shamans,o  Doutor; a maravilha nanotecnológica, Engenheira; e fera alada Swift e o casal de aventureiros criados genéticamente, Apolo e Meia Noite.

Tudo era novo, de novo. Warren Ellis se encontrava livre de uma cronologia sem pé nem cabeça e uma carta branca pra fazer o que quisesse e o artista Brian Hitch mostrou ao mundo que um quadrinho pode ser realisticamente detalhado sem perder sua dinâmica e, mais importante, sem perder sua capacidade de contar histórias. E que histórias.

the-authority-v1-5-page-17 4cd9b93440cc8

Em Authority tudo pode acontecer. Desde os personagens matarem deus, até o primeiro beijo gay dos quadrinhos (não é a toa que Apolo e Meia-Noite sejam tão parecidos com dois certos melhores do mundo…) A ação era vertiginosa e ultra-violenta e a premissa era simples: Nós temos poder para salvar o mundo e vamos fazê-lo a qualquer custo. As histórias costumavam a destruir cidades famosas inteiras e a proatividade dos heróis não escondia seu potencial fascista… pelo contrário. O diferencial do título é justamente se equilibrar entre um pensamento esquerdista que se vê com poderes para instituir seu ponto de vista e o quanto esta linha ação vai se diferenciar de outras ditaduras impostas com poder superior. Tudo muito sutil…

authority-13-status-quo

Mas esta sutileza vai pro espaço quando Ellis e Hitch dão lugar a um outro grupo de novatos: Mark Millar e Frank Quitely. Sob a pena de Millar (que segundo fontes teve a ajuda do conterrâneo escocês Grant Morrisson), o grupo assume suas nuanças políticas confrontando de frente o governo americano, as grandes corporações que mandam no mundo e as pequenas ditaduras alimentadas por armas da indústria bélica dos yankes. Outra diferença entre as duas fazes é a falta de maniqueísmos. Os membros do Authority são donos de hábitos desagradáveis como qualquer um, a ponto de irem as missões fedendo a bebida, ou reclamarem do cheiro dos refugiados resgatados em uma missão na Ásia,  o que os separa de seus adversários é a escolha ética que fazem com clareza, e se seus métodos são discutíveis, os de seus inimigos conseguem ser ainda mais revoltantes.

The-Authority-14-page-drunk-super-heroes

O Authority teve um impacto grande nos quadrinhos, gerando paródias e versões, como o grupo Elite,  liderado por Manchester Black e que desafia Super-Homem para uma aposta de poder (uma alegoria das questões a revista levantou) que foi inclusive adaptado para um longa de animação: Superman Vs The Elite. Sua abordagem do mito do super-herói também permitiu que o mercado recebesse autores como Brian Michael Bendis e o próprio Mark Millar; foi a inspiração para o universo Marvel Millenium e, pode-se dizer, possibilitou que existissem filmes de pessoas em colantes coloridos sem que isso parecesse ridículo.

Authority é um quadrinho arrojado, sem medo de tocar em feridas e levantar discussões. É o fruto de uma renascença dos quadrinhos de super-heróis que teve início quando Alan Moore e James Robinson trabalharam nos WildCats (o que levou ao relançamento da Liga da Justiça por Grant Morrison e ao próprio Autórity e seu título irmão, Planetary) e que teve seu último prego do caixão fincado com o lançamento dos Novos 52, momento em que a DC decide voltar aos esquemas especulativos do início dos anos 90 e recauchutar velhos conhecidos como Rob Liefield e Scott Lobdell… mas a história tende a se repetir, e uma nova fase de  novos criadores pode vir a qualquer momento. Enquanto isso, não deixe de procurar por qualidade nos sebos e nas revistas antigas.

Serviço: Authority: Sem Perdão – R$ 60,00;  Authority: Sob Nova Direção – R$ 43,00;   Jenny Sparks: A história secreta do Authority – R$30,00;

Veja o trailer do documentário sobre Warren Ellis!

setembro 28, 2011

Primeiro veio Alan Moore, seguido por Grant Morrison e agora é a vez do escritor Warren Ellis ser a estrela de um documentário sobre sua vida e obra.

Warren Ellis: Captured Ghosts é produzido pela mesma equipe de Talking With Gods, sobre o escoçês Grant Morrison, e traz nomes como Joss Weadon, Ben Templesmith, Will Wheaton e até a atriz Helen Mirren. Tudo isso amarrado por uma entrevista com o próprio escritor.

O documentário será laçado até o final do ano.

Confira o trailer abaixo:

 

Novidades Quentes do Reino dos Quadrinhos! 04/04

abril 4, 2011

– Vejam o novo trailer da nova série dos Thundercats!

Neste fim de semana ocorreu nos EUA a WonderCon, e com direito a muitos lançamentos bombásticos, como o já postado aqui trailer do Lanterna Verde. E falando em trailer, confira abaixo o trailer da nova série animada dos Thundercats que foi exibido na WonderCon!

Thundercats Ho!

– Veja a abertura do anime dos X-men!

Estreou nesta sexta feira no Japão a nova animação dos X-men. Enquanto ainda não tem imagens da série disponível, você, meu caríssimo leitor, pode refrescar sua curiosidade com a abertura da série disponível abaixo:

E, não é que a abertura tem espaço para algumas surpresas?

Duas palavras: Fênix Negra!

– Warren Ellis escreverá Secret Avengers!

Outro anúncio de peso que ocorreu na WonderCon é a de que o escritor Warren Ellis vai assumir o título Secret Avengers após o mês .1 da Marvel.

O escritor que dispensa apresentações (mas caso você seja novo por aqui, escreveu Transmetropolitan, Authority, Planetary, Nova Onda, Frequência Global e ínumeros outros títulos com gosto de quero mais, muito mais!) vai trabalhar em Secret Avengers em um esquema bem familiar em seu trabalho: cada edição vai conter uma história fechada e desenhada por um artista convidado. A primeira edição vai ser desenhada por Jamie McKelvie (Phonogram).

Confira o preview abaixo:

– Revista Total Film publica capas retrô com X-men First Class!

A revista de cinema Total Film foi lançada esta semana com 3 capas variantes. As capas, versões retrô das revistas Vogue, Squire e Time, são dedicadas aos personagens principais do filme X-men First Class, respectivamente Rainha Branca, Magneto e Professor X.

Confira as capas abaixo:

 

 

– Punk Rock Jesus: Graphic Novel de Sean Gordon Murphy vai ser publicada pela Vertigo!

Você provalvemente não vai lembrar deste nome: Sean Gordon Murphy.

Mas este é o nome de um dos mais talentosos artistas de quadrinhos a trabalhar nos EUA. Um Artista com tanta versatilidade e competência que, sem ele, a revista Joe The Barbaria não teria  o mesmo sucesso (mesmo sendo escrito por Grant Morrison).

Agora o artista está trabalhando em dois projetos para a Vertigo. Uma mini-série de American Vampire que se passa na Segunda Guerra Mundial e terminando seu projeto pessoal, a graphic novel Punk Rock Jesus, para ser publicado pela editora.

E acordo com o autor, esta é a sinopse da revista: “Uma mega corporação televisiva criou um reality show sobre Jesus clonando seu corpo com as células encontradas no santo sudário levando grupos díspares, como religiosos; cientístas que condenam a clonagem e políticos que temem que o garoto se torne presidente quando crescer a confrontarem a si mesmos e a emissora. O show é cancelado quando o menino Jesus tem um colápso nervoso após sua mãe ser retirada do show devido a baixos índices de audiencia. Ele foge, mas não sem antes afirmar em rede nacional que é um Ateu! Ele então monta uma banda punk chamada The Flack Jackets. Toda história é contada do ponto de vista de seu segurança, enquanto se recorda de seu tempo lutando no IRA contra um outro tipo de controle.”

Jesus se assumindo ateu em rede nacional. Fiquei curioso.

Vejam algumas imagens da bela arte abaixo:

– Confirmado – Steve Rogers volta a ser o Capitão America nos quadrinhos!

Steve Rogers volta a assumir o manto de Capitão America… já era esperado…

Ed Brubaker volta a assumir o título em seu relançamento… também já era esperado…

Steve McNiven, astro que proporcionou as belas artes de Guerra Civil e Velho Logan, vai ser o novo artista da série… EITAPORRA! Agora isso não foi esperado. Tanto não foi que este notícia não foi divulgada na WonderCon, ou no forum da Marvel. Este spoiler foi dado pelo New York Daily News.

Abaixo estão as 3 capas do relançamento. Mas me ficou uma dúvida. Foi anunciado anteriormente que haveria uma capa de Travis Charest. E a capa que foi creditada ao desenhista interno Steve McNiven se parece MUITO com o traço de Charest…


– Dc anuncia especiais Retro-active!

Ganhar dólares dos saudosistas da Era de Prata não é mais o bastante para a Warn… DC!

No painel da DC comics da WonderCon foi divulgada uma série de especiais One-shots entitulados Retro-Active. Cada especial vai revisitar uma época dos personagens, tudo com uma logotipo saudosista e tudo mais. As eras revisitadas serão os anos 70, 80 e 90.

Embora apenas as imagens das logo foram divulgadas, a lista dos especiais e sua equipe criativa já está fechada:

Os especiais do Super-homem serão escritos por: Martin Pasko (‘70s), Marv Wolfman (‘80s) e Louise Simonson (‘90s).

Os especiais da Mulher Maravilha serão escritos por: Dennis O’Neil (‘70s), Roy Thomas (‘80s) e William Messner-Loebs (‘90s).

Os do Flash serão escritos por Cary Bates (‘70s), William Messner-Loebs (‘80s) e Brian Augustyn (‘90s).

Os da Liga da Justiça serão por Cary Bates (‘70s), Gerry Conway (‘80s) e Keith Giffen e J.M. DeMatteis (‘90s).

Os escritores dos especiais do Lanterna Verde serão Dennis O’Neil (‘70s), Len Wein (‘80s), e Ron Marz (‘90s).

E escrevendo os especiais do Batman estão Len Wein (‘70s), Mike W. Barr (‘80s), e Alan Grant (‘90s).

Cada edição será acompanhada por uma republicação de uma história da época. Confiram as logos retrô abaixo:

– IDW lança Artist Edition do Thor de Walter Simmonson!

Em um acordo inédito na industria dos quadrinhos, a IDW negociou com a Marvel Comics para lançar uma edição Artist Edition do lindo trabalho de Walter Simonson em Thor.

Criado pela editora para homenagear o trabalho de Dave Stevens e seu Rocketeer, o formato Artist Edition é um volume de quadrinho imprimindo as artes originais dos artistas em seu tamanho natural, com direito ao lapis azul do esboço, nanquim por cima e concertos com tinta branca. Ou seja, páginas e mais páginas de arte em estado bruto.

Confiram a capa da edição abaixo:

– E para fechar, Ivan Reis confirmado como desenhista no título novo de Aquaman com Geoff Johns ´nuff said!