Posts Tagged ‘Walking Dead’

Notícias Quentes do Reino dos Quadrinhos! 22/03

março 23, 2011

– Poder Supremo retorna, e no selo MAX!

Criado a 40 anos atrás, o Esquadrão Supremo – Uma “Liga da Justiça” de um universo alternativo da MArvel, já teve diversas situações, uma maxi-série pioneira nos anos 80 e uma recente reformulação pela equipe de J. Michael Strazinsky e Gary Frank sob o selo MAX com o nome de Poder Supremo.

Esta bem sucessida reformulação depois foi reformada para se enquadrar  no padrão de quadrinhos Marvel Knight (de quadrinhos mais sizudos e agressivos porém sem a censura 18 anos) renomeada de Esquadrão e posteriormente cancelada.

Agora a série retorna, tanto ao selo MAX quanto ao título Poder Supremo. Se trata na realidade de uma mini-série de quatro edições que dá continuidade as histórias anteriores da versão de Strazinsky, com roteiro de Kyle Higgins (que co-roteiriza Gates Of Gotham) e arte por conta de Manuel Garcia.

Confira a capa abaixo:

– Nova imagem de Capitão América e novo trailer com arremesso de escudo!

A Marvel divulgou nova imagem de Chris Evans como Capitão America. A imagem foi liberada junto com o novo capitulo de Capitain America First Vengeance no site da editora. O programa Entertainment Tonight também divulgou nova cena do filme que mostra Steve Rogers arremessando seu escudo pela primeira vez.

Só espero que guardem algumas supresas para o filme. Na atual busca desesperada por aceitação no rançoso mundo de fóruns na Internet, os cineastas andam mostrando muito dos filmes antes da Estréia.

Confiram a nova foto:

Confiram o vídeo Abaixo:

– Stephen King quer escrever um episódio de Walking Dead!

Um dos rumores mais quentes desse fim de semana na Convenção de Quadrinhos de Chicago foi espalhado pela Co-estrela do sériado: Lauren Holden. A atriz, que enterpreta Andrea na primeira temporada da série Walking Dead, baseada nos quadrinhos de Robert Kirkman,  e afirmou em sua mesa redonda que Stephen King estaría escrevendo um episódio.

O rumor não está incorreto. Realmente o mestre do terror americano está escrevendo um episódio de Walking Dead, embora não se saiba se vai ao ar na Segunda ou Terceira temporada. E junto a King está seu filho, Joe Hill escritor de livros e do quadrinho Locke and Key.

Este envolvimento com a produção da série permite também a King voltar a trabalhar com uma velho conhecido: Frank Darabont, produtor executivo da série  que já dirigiu 3 filmes do autor: O Nevoeiro, A Espera de um Milagre e Um Sonho de Liberdade.

– Vejam as cenas de Ultimate Spider-man que estrearam na Chicago Comic Con!

Neste fim de semana, a Marvel mostrou em seu painel na Chicago Comic Con uma prévia da nova série de Desenho Animado do Homem-Aranha baseado na série Ultimate e que conta com nomes de peso na produção.

Confira Abaixo o vídeo da Chicago Con:

– Conheça “The Watch”, a série de TV que é o CSI do Discworld!


Existe um universo ainda pouco conhecido no Brasil, tomando-se por conta a popularidade dele em sua terra natal (Inglaterra) e nos EUA.  Neste o mundo tem a foram de disco e flutua tranquilamente pelo cosmo apoiado em 4 elefantes que, por sua vez, se equilibram no topo da casca de uma tartaruga gigantesca. Seu nadar tranquilo pelo espaço é incapaz de refletir os hilários dramas e dramáticas comédias do dia a dia de seus habitantes que tentam se dar bem e sobrevi.. , quer dizer, não morrer neste caótico e belo mundo de magia.

Esse é o mundo de Discworld, a divertida criação máxima do escritor Terry Pratchet, que já tem muitos volumes publicados no Brasil pela Editora Conrad. Entre eles, alguns dos livros mais legais da série como Guardas Guardas. Neste romance nos é apresentado a guarda de elite da decadente metrópole de Ankh-Morpok (cortada pelo rio Rio Ankh – a mais polúida via fluvial do Discworld e famoso por ser sólido o suficiente para se caminhar em cima). Seus desmoralizados guardas têm que lidar com as guildas de ladrões e assassinos que tem toda a burocracia de repartições públicas as protejendo da lei.

E é esse livro que inspira a nova série de televisão produzida na terra da Rainha! The watch vai contar a história desses bravos policiais em missões semanais aos moldes de CSI. Não se sabe ainda se série vai adaptar o livro com0 piloto ou se já começará com o status quo estabelecido após a aventura. Mas além de Pratchet, o filme ainda conta com Terry Jones (de Monty Pyton) na equipe de produção.

A série está no topo da minha lista de recomendações! Quem correr atrás, não vai se arrepender.

Abaixo tem um passeio pelos bastidores da produção:

– Wagner Moura está no novo filme do diretor de Distrito 9 e diz aceita um papel em RoboCop!

O ator Wagner Moura, que trabalhou com o diretor José Padilha nos dois Tropas de Elite,  vai fazer um papel de vilão em “Elysium”, o novo filme do diretor Sul-Africano Neill Blomkamp que  ainda tem  Jodie Foster e Matt Damon no Elenco.

O ator diz não descartar um papel na refilmagem de Robocop que será dirigido por Padilha. Embora não ache que há papel para ele no filme, o ator diz que a vontade de trabalhar com o diretor novamente é grande.

Anúncios

Notícias quentes do reino dos Quadrinhos!

dezembro 1, 2010

Sua dose quase diária de informação na boquinha.

– Equipe de roteiristas de Walking Dead vai ser totalmente trocada!

Frank Darabond, escritor/diretor executivo da série de TV “The Walking Dead” que adapta o quadrinho Mortos Vivos, decidiu despedir todos, TODOS, os escritores da série e troca-los por escritores freelancers na segunda temporada!
A notícia é muito inexperada considerando o sucesso da série de TV.
Vai saber.

-Vídeo prova que a abetura de todos os Animes são iguais.
Bom, todos sabem que fã de comics que é fã de comics mesmo tem um só jargão quando se trata de Animes: Desenho Japonês é tudo igual. Verdade ou não, o fato é que os fãs mais experts de Anime acabam chegando a esta mesma conclusão, só que de uma maneira mais arquetípica. Semelhante aos comics. Porém, este vídeo faz um apanhado de vários Animes para provar que, se os Animes não são todos iguais, então todas as suas aberturas são!
Os Animes utilizados foram:
009-1
Ah! My Goddess
Ai Yori Aoshi
Angelic Layer
Asu no Yoichi
Azumanga Daioh
Berserk
Big O
Black Lagoon
Bleach
Blood+
Blue Dragon
Burst Angel
Cardcaptor Sakura
Chrono Crusade
City Hunter
Clannad
Claymore
Cobra
Code Geass
Cowboy Bebop
D. Gray Man
Death Note
Devil May Cry
Diebuster
Dragon Ball
Dragon Ball Z
H2O Footprints in the Sand
Eureka Seven
FateStay Night
Full Metal Panic!
Full Metal Panic Fumoffu
Full Metal Panic The 2nd Raid
Fullmetal Alchemist
Fushigi Yuugi
GaoGaiGar
Genshiken
Ghost Stories
Girls Bravo
Gokusen
Golgo 13
Gosyusho sama Ninomiya-kun
GTO
Gundam 00
Gundam Wing
Gurren Lagann
Hajime no Ippo
Hellsing
Hikaru no Go
Ikki Tousen
Ikki Tousen Dragon Destiny
Inu Yasha
K-On!
Kanokon
Kare Kano
Kaze no Stigma
Last Exile
Love Hina
Love Hina Again
Mahoromatic
Mai Hime
Mai Otome
Martian Successor Nadesico
Melancholy of Haruhi Suzumiya
Midori Days
Moribito: Guardian of the Spirit
Nadia – The Secret of Blue Water
Nana
Nanatsuiro Drops
Neon Genesis Evangelion
One Piece
Planetes
Rahxephon
Ranma 1/2
Read or Die OAV
Ruin Explorer
Sailor Moon
Samurai Deeper Kyo
School Days
School Rumble
Shakugan no Shana
Strawberry Panic
Strike Witches
Tenchi Muyo Universe
Third – the Girl with the Blue Eye
To Aru Majutsu no Index
Toward the Terra
True Tears
Tsukihime
Utawarerumono
Welcome to the NHK
Wolf’s Rain
X-Men
Yu Yu Hakusho

-A Liga da Justiça Internacional embarca em Batman the brave and the bold!
Dia 03 de Dezembro estréia um novo episódio de Brave and the Bold onde Batman organiza uma Liga da Justiça as pressas para salvar o mundo. Uma liga bem familiar! Veja aqui

Walking Dead

novembro 10, 2010

Hollywood evolui mesmo! A lerdos e trôpegos passos de zumbi, mas evolui.

Quando X-men estreou há 10 anos (!), muitos de nós, leitores de gibi, nem sonhariam em ver sua mídia preferida tomar o mundo. Não apenas tomar o mundo, mas obrigar que outras mídias agissem com seriedade e respeito na hora de adaptar os quadrinhos para seu meio. E essa seriedade pode aparecer de várias formas, com resultados bem diferentes.

Quem já leu os Mortos Vivos de Robert Kirkman deve ter apreciado a HQ por um ou mais dos seguintes motivos: A proposta de desenvolver personagens bem construídos e mostrar sua saga de sobrevivência num mundo dominado por zumbis; o impressionante desapego que o autor tem por suas criaturas, que não pensa duas vezes em transformar carismáticos personagens em ração de desmortos; a arte competente de Tony Moore, que mesmo um sendo um tanto cartunesco nas expressões, consegue transmitir uma boa carga emocional, como na seqüência da mulher na bicicleta; e finalmente, nas situações inusitadas pelas quais nossos (anti) heróis devem passar para sobreviver.

A série de TV da AMC, que bateu recorde de audiência nos EUA e no mundo inteiro em sua estréia, tem todos esses ingredientes. Até os zumbis de Tony Moore ficam parecidos na telinha com o original de quatro cores! Estão lá o drama pessoal dos personagens, bons atores caracterizando cada um dos protagonistas com o tom certo, zumbis que não pretendem ser realistas e que acabam funcionando muito bem contrastando com o elenco de vivos e seus problemas pesados.

No primeiro episódio acompanhamos o Xerife Grimes no seu despertar em um hospital, onde estava se tratando de um ferimento grave a bala, para descobrir que enquanto estava desacordado o mundo caiu num apocalipse de mortos vivos. Tendo que se adaptar rapidamente ou morrer, Grimes descobre (de uma maneira um tanto forçada na série) que sua mulher e filho podem estar vivos ainda e decide partir em busca deles e se aventurar na cidade grande, tendo em mente as palavras que outro sobrevivente que encontra no caminho lhe diz:

“Eles podem parecer desajeitados isolados, mas em grupo e famintos, são muito perigosos”. Tudo exatamente igual ao quadrinho. E esse acaba sendo um problema para quem já leu a série.

Quem assistiu Watchmen deve lembrar-se do problema enfrentado pelo diretor Zach Snyder para adaptar a obra para o cinema. A literalidade da transposição das imagens da Graphic Novel foi tanta que de certa maneira minou a naturalidade do filme, o deixando frio e deslocado. Já em Walking Dead a literalidade do texto acaba gerando um outro problema: Como manter o público que acompanha a série em quadrinhos interessado em uma série de TV que eles já sabem o que vai acontecer?

Aparentemente os desenvolvedores da série televisiva estão cientes disso e apostam em mudanças estratégicas e o desdobramento de pontos pouco explorados na HQ para chamarem a atenção dos leitores. No primeiro episódio vemos que alguns zumbis podem reter algo de sua vida anterior e isso é mostrado quando os roteiristas exploram personagens que aparecem brevemente no começo da saga. Outra adaptação acontece no segundo episódio, o ótimo “Guts” em que um personagem importante do futuro da historia nas HQs é apresentado discretamente entre os outros protagonistas. Esse episódio conta ainda com uma das melhores cenas vistas na TV deste ano. Uma transposição de uma cena no quadrinho que adquiriu um impacto impressionante na sua versão televisiva mostrando que ainda tem muito mais por vir. E que virá! O sucesso dos dois primeiros episódios já garantiram uma segunda temporada. Para felicidade do simpático Kirkman(que é produtor e consultor na série) que pode ter mais de seus projetos na mira de Hollywood. Alias, se alimentar dos miolos da industria do entretenimento americano é uma coisa que já estava bem clara pra quem acompanha o gibi Walking Dead desde o começo.

Realmente Hollywood está amadurecendo seu conceito de “adaptação de HQ´s”. Junto com Scott Pilgrim este ano e outros exemplos mais recentes, sendo o melhor deles o Batman: Cavaleiro das Trevas, a indústria de entretenimento americana está percebendo que não custa dividir os lucros de uma adaptação trazendo os autores pra dentro da produção. Garantindo assim fidelidade ao material original.

O pensamento é simples, ao adaptar fielmente uma obra, você garante o público que acompanha o gibi e a qualidade do mesmo é atestada gerando um novo público que se soma aos já estabelecidos. Uma conta que até um zumbi pode fazer!

Por: Lima Neto